Incentivadores

Existem pessoas que sempre correm do seu lado, literalmente ou com uma palavra de incentivo, fazendo com que você fique mais forte e não te deixam desistir. Abaixo, trago alguns exemplos de amigos que são Pau No Cat.

Edson Fernandes, o Pellon

edson

Edson

Amante do bom e velho rock n’ roll, esse cara me incentivou a dar as minhas primeiras passadas. Eu, com meus 69 Kgs na época, e ele, com muitos quilinhos a mais, mas sempre treinando e participando de provas. Um cara que sempre está com um sorriso no rosto. Edsão é um cara Pau no Cat Man. Hoje está magrinho, sem dores e está voando baixo por aí.

Weder Paulino, o Edinho

weder

Eu e Weder

Conheço esse cara há mais de 25 anos. É um irmão no qual tenho grande consideração. É um atleta que possui força e determinação absurdas. Sua corrida é uma constante. Comparando-o com algo que se move, o chamaria de Locomotiva, pois nas trilhas sempre possui uma velocidade constante e não desiste nunca.

André Coutinho

andre coutinho

André e Eu

O que dizer dele? Apelidado carinhosamente por mim de “André, o leão das montanhas”. Um dos grandes responsáveis por me colocar nesse mundo das grandes distâncias. Fizemos muitas provas juntos e também treinamos muito. Passou este último ano fora das trilhas, mas logo, logo estará de volta.

Thiago Galvão

mini cooper

Thiago e Eu

Apelidei-o de ‘Mini Cooper’ (preciso dizer algo mais? rs). Esse cara extremamente do bem, humilde e que corre pra c#$%@@. Seu tempo para uma prova de 10k é de 34minutos, o cara é bom demais. Mesmo assim não sai por aí falando aos 4 cantos que é o ‘Cara’. Mas pra mim é. Descobriu a trilha por acaso (graças a sua esposa Estela – rs) e de lá pra cá se tornou um grande amigo de treino e de provas. Ao seu lado e da Cris Faccin, ganhamos na categoria Trio Misto os 75 k Bertioga-Maresias, em 2013. E adivinha quem voou na serra de Maresias? Isso mesmo, ele.

Adriana Lopes Barreto, a Nana

nana cruce

Eu e Nana

Minha esposa amada. Senão fosse por ela, não estaria aqui contando as minhas histórias, elas simplesmente não existiriam. Sequer teria conhecido as corridas. A frase que eu mais gosto de ouvir ela falando é “Gosto de correr por prazer”. Só que para ela, isso significa correr por horas sem parar. Ao seu lado, ficamos entre as 15 melhores duplas do Cruce de Los Andes, em 2013, e ganhamos na categoria dupla mista em Urubuci, 52 k. Ela faz da corrida o seu estilo de vida. Tem como não amar?

Daniel Dadi

daniel dadi

Daniel

O mais novo da turma. Aprende a cada corrida a dosar a sua força física com o perfil das provas de trilha. Tem feito grandes provas. Mas o que vale destacar aqui é o que ele tem de mais nobre, que é a sua forma de abraçar os amigos em todos os sentidos. Seja com uma palavra de incentivo, um apoio, atenção. Enfim, o Daniel é um cara que dá atenção a todos. Se continuar dessa forma esse garoto vai se divertir muito pelas trilhas do mundo.

Cris Faccin 

cris e anna frost

Anna Frost original e Cris

Gentilmente apelidada por mim de Anna Frost brasileira, não só pela semelhança física bem como pela força que tem. Se for treinar com ela, se prepare para suar a camisa: quando ela coloca o pé na trilha, ela vai longe. A Cris tem uma força e uma energia que poucas mulheres no Brasil têm. Mas não é só isso, quem conhece a Cris, sabe que é uma pessoa que emana uma energia maravilhosa. Tenho a honra de treinar ao seu lado e de ter feito algumas provas com ela e, meu amigo, confesso que tive que suar para acompanhá-la.

 

Paula Narvaez

paula

Paula

Trata-se da corredora mais popular e carismática que conheço. Basta você ir ao Facebook ou Google e digitar “Corre Paula”. Só dá ela. Quer fazer com que algo fique popular? Conte à Paula a sua ideia, seu produto ou alguma expressão e você verá onde isso vai parar. É uma mulher que gosta de treinar duro e, sem dúvida, isso separa as meninas das mulheres.

Marcelão

marcelao

Eu e Marcelo

É o mais recente corredor de trilha, vindo das ruas. Ao que tudo indica, está gostando bastante de por o pé no barro. Torço para que essa disposição não acabe nunca. E sabe o que a corrida fez por ele? Fez com que ele parasse de tomar remédios para controle de pressão. Ela definitivamente não sairá da vida dele.

Gabriel “Play”

gabriel play

Gabriel e Eu

Se eu dei um upgrade como atleta, foi graças a esse gêniozinho. Gabriel é o cara que faz as minhas planilhas, que me passa o treino de musculação e, por vezes, é o meu psicólogo (isso ele não sabia até agora – rs). Nunca esqueço quando o André Coutinho nos apresentou, de cara houve uma empatia. Ela já não deve mais aguentar me ouvir dizer: “Coach, eu confio em você para alcança o meu objetivo”. O último que ele me deixou pronto foi os 119 k do Mont-Blanc. E confiei mesmo. Com ele como técnico, não tem mimimi, não tem “paquitagem”, não tem chororô. É treino duro.

Dr. Liaw Chao, médico acupunturista
Amigo que trata das minhas dores e que me “coloca no lugar”. Lembro bem da primeira vez que encontrei o Liaw, recém-voltado do Cruce de Los Andes, em 2009, com dores no joelho. Passei por um ortopedista e o mesmo me disse: seu caso é de cirurgia. Não me conformei com aquilo e fui apresentado ao mundo das ‘agulhas’ com estimulo elétrico pelo Dr. Liaw. Depois que o conheci, a cirurgia nunca chegou perto do meu joelho – rs – e a frase marcante do Liaw é “Vamos consertar e você poderá correr”, e a cada agulha aplicada, diz um “ÓTIMO, ÓTIMO”.

Sr. Lindauvo, “O troféu”

lindauvo

Eu e Seu Lindauvo

Esta figura “caricata” é o Seu Lindauvo. Todos os sábados ele da o ar de sua graça no Pico do Jaraguá para a sua caminhada. Ele tem é a essência das pessoas que frequentam o Pico. Nunca me esqueço da primeira vez que o vi, foi muito especial: ao cruzá-lo recebi um sonoro e carinhoso “Bom diaaaaa! Forçaaaaa!”. Todos que passam por alí, sem sombra de dúvidas, recebem esse cumprimento, tornando o seu treino leve e prazeroso. Bom, parece algo simples, mas para mim é muito marcante. É aquele negócio da ‘primeira impressão é a que fica, e a minha primeira impressão do Seu Lindauvo foi esta, de uma pessoa querida, educada, fazendo o seu exercício sem desistir nunca (mesmo com o seu “barrigão”. Já até sonhei com ele: numa sexta que antecedia a corrida no Pico, sonhei que participava de uma corrida trail e o troféu era o Seu Lindauvo em bronze. Até quando durmo ele me alegra, tem como não gostar?

João Noya

noya

Noya e Eu

Se puder definir o João em uma expressão, eu diria “pau pra toda obra”. Basta um “João, bora fazer uma provinha de 10k pau no gato? E ele topa. “João, bora alí fazer 42k comigo?” E ele topa mais uma vez. No ano que ele tinha ido de São Paulo a Aparecida do Norte correndo com um brother, o chamei para fazer os 80k do Desafio das Serras, prova esta que me dava os pontos para o Mont-Blanc, ele nem pestanejou, topou na hora. Tenho um carinho imenso por esse cara! Eh noixz!